Ato do Sintese reúne 2 professores e se torna um fiasco em Macambira

Atualizado: Out 22



“Frustração”. Assim que se resumiu o ato do Sintese na noite desta quinta-feira (21). Apenas dois professores de Macambira compareceram no ato do sindicato, sendo servidores ativos que diga-se de passagem, demonstram claramente seus interesses politiqueiros no dia-a-dia. Mesmo assim os mesmos receberam como os outros os benefícios de parte do 13º salário antecipado e parte das férias também antecipada, isso sem contar com o salário pago rigorosamente dentro do mês trabalhado. Enfim !


O evento classificado como fiasco realizado pelo Sintese buscava cobrar o pagamento do piso de 2020, uma herança maldita deixada pela antiga gestão, solicitação esta que segundo a própria representante do sindicato, Rita de Cassia, o prefeito Carivaldo Souza se colocou à disposição para pagar a categoria porém, foi impedido por uma interferência resolutiva do Tribunal de Contas do Estado (TCE).


Devido a movimentos “políticos” como este é que o SINTESE vem perdendo a força e a credibilidade no estado. O evento em Macambira estava programado para se iniciar às 17h00, porém só foi iniciado às 18h30. O atraso se deu como forma de aguardar a chegada de novos participantes, o que não ocorreu.


Com a baixa adesão do público, ficam várias perguntas. Qual a finalidade do ato? A quem o SINTESE está representando? Será que os professores não comungam com a atuação do Sindicato ?


É, bem verdade que os professores macambirenses não estão sincronizados com o sindicato. Um evento programado com bastante antecedência e divulgação, realizado em um município que tem mais de 60 professores reunir apenas dois, é de no mínimo se estranhar.



Ainda bem que pelo menos para comer o bolo, os manifestantes contaram com a ajuda do querido amigo de quatro patas, Bethoven.

0 comentário