top of page

MACAMBIRA: Em pronunciamento duro, presidente da câmara responde Padre Paulo


“Isso não é um Padre, é um vagabundo travestido de Padre.”

Na última semana o pároco do município de Macambira, Padre Paulo Moura, usou o microfone da Igreja Matriz de São Francisco de Assis, e criticou a postura de vereadores que segundo o pároco “recebem dinheiro para votarem em projetos”.


Ainda segundo o pároco um vereador teria chamado a Igreja de mercenária e que esse vereador seria do candomblé.


“Respeitamos todas as religiões, mas eu gostaria de dizer ao vereador que se expressou falando mal da Igreja, que não permitimos e exigimos respeito, para com a Igreja de Cristo,” comentou o Pároco.


O pároco segue dizendo que: “Não votamos em candidatos, nem político nenhum que fale mal da Igreja, que defende o aborto e outras ideologias, não ganhará meu voto,” disse Pe. Paulo.


Finalizando o pároco pediu para que os membros da Igreja não deixasse com que o tal vereador fosse mais eleito.


“Nem permita que ele se eleja nem que o candidato que esse vereador apoiar, porque você é Igreja de Cristo - o papel do vereador é investigar, é fiscalizar, porque será que para assinar alguns projetos precisa receber dinheiro ? Quem será o mercenário: A Igreja ou quem tá lá representando o povo ?” Denunciou o Pároco.


Na sessão desta quarta-feira, 05, o presidente da Câmara de vereadores do município, Pedro Alves, se pronunciou e rebateu a fala do pároco Padre Paulo.


“Alguns vereadores estavam na missa e viram quando o Padre disse que existe vereadores que pegam dinheiro para aprovarem projetos, eu gostaria que ele dissesse o nome, porque isso não é um Padre, é um vagabundo travestido de Padre,” disse Pedrinho.


Acompanhe abaixo todo o pronunciamento do presidente da Câmara, Pedro Alves.



0 comentário

Comments


bottom of page