top of page

Vereador denúncia suposto crime de nepotismo na prefeitura de Macambira


Entre os contratados estão, filho, mulher e noras do prefeito, Carivaldo Souza, que juntos já receberam mais de 1 milhão de reais.

O pequeno município de Macambira não possui grande arrecadação e vive tão exclusivamente do FPM (Fundo de Participação Municipal) o que não se traduz em problema algum nem para o prefeito, José Carivaldo de Souza, bem como para sua família que usufrui muito bem do pouco que o município tem para cuidar dos munícipes que lá residem.


Segundo informações do próprio portal da transparência, quatro funcionários comissionados mais o salário do prefeito, acarretam aos cofres públicos o montante de mais de R$ 1 milhão de Reis, nesses mais de 2 anos de mandato. Isso, fora as regalias que são inúmeras e incontáveis !


Os funcionários são: Breno Alves de Meneses Souza, Acacia da Costa Almeida, Anamira Alvez de Menezes Souza e Katia Lima da Mota Souza.


“Entra prefeito e sai prefeito e as práticas continuam as mesmas. O ex-prefeito, Luciano de Vital, também empregou mulher e filhos enquanto prefeito e eu como vereador denuncie,” comentou Pedrinho.


“Ato este que continua na gestão de Carivaldo e eu não poderia agir de outra forma se não também denunciar e manter minha integridade e palavra primeiro como Homen segundo como vereador, por isso também denuncie,” finalizou Pedrinho.


O nepotismo é a prática ilegal de favorecer parentes com cargos dentro da administração pública. Existem leis para vedar essa prática que traz prejuízos para o bem público.


No caso do Direito Brasileiro, o nepotismo se caracteriza pela prática de utilização de um cargo púbico para favorecer um familiar. E isso, apesar de não ser crime, é proibido constitucionalmente e por meio de outras leis. Assim sendo, é passível de punição.


Por fim, fica a pergunta para o ministério público: Se Luciano não podia, porque Carivaldo pode ?

0 comentário

Commenti


bottom of page