top of page

MACAMBIRA: Bancada do prefeito articula tomar mandato de vereadora

Em pleno século XXI o município de Macambira protagoniza senas lamentáveis semelhantes a roteiro de novela de coronéis - onde o coronel que manda do jeito que quer e bem intende.


Após o prazo de 120 dias de licença maternidade vencido, a vereadora titular, Margarete, foi convocada a reassumir seu posto, com penalidade prevista no regimento interno da casa de perca de mandato caso não cumprido o retorno imediato - o ato foi comunicado ao suplente, Ita Anderson, pessoalmente em sessão no último dia, 07, como através de documentos.


Mesmo assim a sessão da última quinta-feira, 08, foi tumultuada com argumento frágil e de má fé por parte do suplente, Ita Anderson, aliado do prefeito, juntamente com o líder da situação, vereador Doidão, exigindo o cumprimento de uma licença inexistente de 150 dias.


O regimento é claro quando no seu artigo 48, inciso I e II diz que:


- O Vereador poderá licenciar-se:

I - por motivos de doença, devidamente comprovados;


II - Para tratar de interesse particular, desde que o período de licença não seja superior a 120 (cento e vinte) dias por Sessão Legislativa;

Neste caso, a vereadora Margarete correria eminente risco de perca de mandato caso não tivesse reassumido o seu posto - quem assumiria definitivamente era justamente o vereador suplente, Ita Anderson, protagonista de toda confusão.


Por esse motivo é muito claro o interesse da bancada do prefeito em querer tomar na tora o mandato da vereadora - até parece que estamos nos tempos do coronel, Odorico Paraguaçu, prefeito de Sucupira (cidade e personagem fictícios criados pelo dramaturgo brasileiro, Dias Gomes).


O que a turma do prefeito tem que saber é que, Macambira não é Sucupira, mesmo que alguns queiram se passar pelo coronel, Odorico Paraguaçu.


Por fim, a ordem deve ser estabelecida, esperamos que a justiça através do seu braço forte não permita mais que senas deploráveis sejam protagonizadas nessa casa legislativa em Macambira, mais conhecida como a casa do povo.

0 comentário

Comments


bottom of page